Votar branco ou nulo? Prefira o voto consciente

 

O ato de votar não se restringe a clicar o dedo na urna. É participar do processo eleitoral, acompanhar o mandato do parlamentar e professar em alto e bom tom o que você acredita ser o certo. Quando vemos uma pesquisa* dizendo que 33% dos eleitores devem votar branco ou nulo em 2018, precisamos parar e refletir sobre como esta ação pode impactar as nossas vidas.

O que um candidato que manipula as massas e tem o seu “curral eleitoral” estabelecido conta é que o público que ele não dominou desista da política e que não apoie os seus concorrentes. Quando 61% dos eleitores brasileiros dizem ter pouco ou nenhum interesse pelas eleições os maus candidatos saltam de felicidade. Pois, se vão às urnas apenas quem não tem opinião crítica e conhecimento do que é falácia e programa político factível, o status quo não muda.

Entendo perfeitamente este desalento, por vezes, me sinto assim também. Mas prefiro me juntar ao grupo que acredita que eleições podem sim melhorar o país. Por isso, recomendo a você insistir nesta tão esperada mudança começando pelos deputados estaduais. Eles estão mais perto, são mais fáceis de serem acessados, de sabermos o que pensam e, principalmente, de conferirmos o que fazem dos seus mandatos. Além disso, se você está cansado das mesmas figurinhas, busque novas opções. Sempre tem alguém que não perdeu a fé. Que mesmo sabendo a crueldade do “mecanismo” está disposto a enfrentá-lo pelos seus ideias e até mesmo por você.

Compartilho a seguinte máxima de Albert Einstein porque prefiro ser um otimista e estar errado a ser um pessimista e estar certo. Acredite em você e vamos conversar mais sobre isso. Vamos juntos encontrar uma saída. Não se anule!

* Pesquisa CNI/Ibope de junho 2018

Abraços do amigo,

André Esteves

Deixe um comentário usando o Facebook

Deixe uma resposta